Skip to content

Prevention

2013 January 21
Posted by andreburgobaptista

Flora do Algarve

2010 January 19
Posted by andreburgobaptista

(ver imagens correspondentes em baixo)

alecrim4

Alecrim (Rosmarinus Officinalis)

É um arbusto comum no Mediterrâneo. Que surge até 1500 m de altitude e em solos de origem calcária. O Alecrim tem um aroma bastante característico.


Alfarrobeira (Ceratonia siliqua)alfarrobeira2

É uma árvore de folha persistente da região mediterrânea. Esta árvore pode atingir até 20 metros de altura. O fruto da alfarrobeira é a alfarroba. Esta planta foi presumidamente trazida para Portugal, Espanha e África pelos árabes.

 

 

 

Laranjeira (Citrus x sinensis)laranjeira

A laranjeira é uma árvore de família Rutaceae. A laranja é uma fruta criada na antiguidade a partir do cruzamento do pomelo com a tangerina. A laranjeira foi trazida pelos portugueses, da China para a Europa no século XVI.


Amendoeira (Prunus dulcis)amendoeira

É uma árvore de folha caduca da família Rosaceae. A amêndoa é a semente do fruto da amendoeira e é considerada um fruto seco. Existe em Portugal, principalmente nas regiões do Douro e do Algarve. Da amêndoa podem ser extraídos óleos e outros produtos com propriedades medicinais.


Sobreiro (Quercus suber)sobreiro

É uma árvore da família do carvalho, também conhecida como o sobro ou sobreira. O sobreiro é de onde se extrai a cortiça e é por isso que tem sido cultivado desde há muito tempo. O sobreiro é cultivado principalmente no sul da Europa, sendo natural da vegetação da Península Ibérica. É por isso bastante comum na Espanha e em Portugal. A cortiça é utilizada para o fabrico de isolantes térmicos e sonoros. Portugal é o maior produtor mundial de cortiça.


Azinheira (Quercus rotundifolia)azinheira

É uma árvore da família das fagáceas e pode chegar a atingir 10 metros. São originárias do Mediterrâneo e Norte de África. Têm uma madeira bastante dura e resistente, sendo utilizada desde a antiguidade até aos dias de hoje em vigas ou pilares, na fabricação de ferramentas, de embarcações e barris. Hoje em dia, a sua madeira é utilizada como lenha ou no fabrico de carvão, sendo uma importante fonte de combustível em Portugal.


Esteva (Cistus ladanifer)estava

É uma planta da família Cistaceae. Cresce naturalmente no sul de França, de Portugal e no noroeste de África. É um arbusto que atinge de 1 a 2,5 metros de altura e largura. Tem folhas persistentes recobertas com uma resina aromática. O seu nome vem do grego ciste, que significa caixa ou cesto.


Eucalipto (Eucalyptus spp.) eucalipto

O nome científico da planta é Eucalyptus, mas este nome pode ser usado para designar outras plantas da mesma família. São em termos gerais árvores e em poucos casos arbustos. Existem mais de 700 espécies de eucaliptos, na sua maioria originárias da Austrália, constituindo grande parte da sua flora. Os eucaliptos adaptam-se a todas as condições climáticas.


Figueira (Ficus carica) figueira

As figueiras são plantas, na sua maioria árvores da família Moraceae. Também são conhecidos como fícus, gameleira, gomeleira e caxibunga. Em todo o mundo há mais de 1000 espécies de figueira, especialmente em regiões de clima tropical e subtropical com presença de água. As figueiras podem crescer de uma forma muito energética, as suas raízes conseguem deformar as paredes das casas quando cultivadas perto destas.


Castanheiro (Ranunculus ficaria) castanheiro

O castanheiro é uma árvore de grande porte, bastante comum no interior norte e no centro de Portugal. O fruto do castanheiro, o ouriço, contém no seu interior a castanha, que no século XVII, constituiu parte da base da alimentação portuguesa. O castanheiro tem também madeira de grande qualidade, o castanho. Sempre foi uma árvore bastante conhecida na Península Ibérica. Hoje em dia, a castanha está ligada ao São Martinho e ao Mangusto. Nestes as castanhas são comidas, assadas ou cozidas.


Limoeiro (Citrus limon)

Os limoeiros são árvores pertencentes à família das rutáceas, existindo cerca de 70 variedalimoeirodes, entre elas o limoeiro Lisboa. São árvores pequenas, espinescentes, muito ramificadas e reproduzem-se em estacas em solo arenoso e adubado, preferencialmente em regiões de clima quente ou temperado. A árvore dá limões durante todo o ano. Esta é originária do sudeste da Ásia e foi trazida para a Europa, da Pérsia pelos árabes. Os limões foram usados no século XVIII como cura para o escorbuto. Actualmente, o limão tem várias aplicabilidades como na produção de comida e bebidas, de remédios e xaropes e a sua casca pode ser usada para fazer licores e sabões. É ainda um remédio tónico que ajuda a manter uma boa saúde, sendo um bom anti-séptico e ajudando a combater infecções, febres, gripes, entre outras.


Medronheiro (Arbutus unedo)medronheiro1

O medronheiro é uma árvore frutífera portuguesa, também conhecida como Érvodo, Ervado, Ervedeiro, Ervedo ou Êrvedo. A árvore pode crescer até aos 5 metros, tem ramos que brotam do tronco a 0,5 metros do solo; também são bastante espaçados entre si. O medronheiro tem folhas persistentes de forma elíptica, com um brilho ceroso na face superior. As flores brancas e rosadas da árvore são muitas vezes usadas como decorativos, por isso a árvore é considerada uma árvore ornamental. O seu fruto, o medronho, é comestível e bastante apreciado no sul de Portugal, é também usado na produção de licores e aguardentes. Em 1995 o medronheiro ocupava 13,1% da área florestal do Algarve.


Oliveira (Olea europaea)oliveira

As oliveiras pertencem à família Oleaceae. São árvores baixas, originárias das regiões orientais do Mar Mediterrâneo. O seu fruto, a azeitona, tem sido usado desde tempos remotos, já no período neolítico, os homens aprenderam a extrair o azeite da azeitona, que foi usado como unguento, combustível e na alimentação. As oliveiras têm uma grande longevidade, pensa-se que algumas oliveiras na palestina, têm mais de 2500 anos de idade. As oliveiras e a azeitona são referidas em algumas passagens da Bíblia.


Pinheiro-bravo (Pinus pinaster)

O pinheiro-bravo é uma espécie de pinheiro, originário da Europa e do Mediterrâneo. É uma árvore de altura média, atingindo entre 20 e 35 metros de altura. Nas árvores jovens, a copa tem forma de pirâmide e nas árvores adultas, a copa é arredondada. O tronco destes pinheiros é coberto por uma casca muito pinheiro-bravoespessa, rugosa, castanha e fendida. As suas folhas são persistentes e têm forma de agulhas com cerca de 15 cm. Tem flores masculinas e femininas juntas no mesmo pé (floração monóica). A árvore começa a florescer em Fevereiro e acaba em Março. Os seus frutos, as pinhas amadurecem no final do verão do segundo ano e depois libertam várias sementes, conhecidas mais vulgarmente como pinhão.

Em Portugal, os pinheiros apareceram espontaneamente na costa, em solos arenosos a norte do Tejo, onde encontraram boas condições climáticas. Actualmente o pinheiro encontra-se em todo o país, devido à acção do homem. O pinheiro-bravo representa 70% da área plantada da Ilha da Madeira e 40% da área florestal de todo o país.

Os pinheiros-bravos foram abundantemente plantados, devido a um grande interesse económico por estes. Os pinheiros proporcionam uma grande produção de madeira e devido ao seu enraizamento permite a recuperação de solos pobres e erosionados. A sua madeira resinosa, clara, com muitos nós é durável, pesada e pouco flexível é usada em carpintaria, caixotaria, construção naval, combustível e celulose e a sua resina é usada na indústria de tintas, vernizes e aguarrás.


Pinheiro-manso (Pinus pinea)pinheiro-manso

O pinheiro-manso é uma espécie de pinheiro, originária da região do Mediterrâneo. Desde a pré-história que esta árvore é usada como fonte de alimento, devido aos pinhões que produz. O pinheiro-manso pode atingir mais de 78 metros de altura, embora geralmente tenha entre 12 e 20 metros. A árvore tem uma forma bastante característica de guarda-chuva. O seu tronco é curto e largo e tem uma copa muito larga.

Tojo (Ulex spp./Genista spp.)tojo

O tojo ou mato é o nome comum das plantas do género botânico ulex. São plantas bastante típicas da flora atlântica da península ibérica e de toda a europa temperada.


Tomilho (Thymus spp.)

O tomilho ou timo pertence à família Lamiaceae e é um sub-arbusto aromático da famíliatomilho das labiadas. O tomilho, tal como as plantas da família das labiadas, apresenta folhas pequenas, lineares e flores rosadas ou esbranquiçadas. Encontra-se do oeste da europa até ao sudoeste da itália. É usado como condimento, na produção de óleo, como um anti-séptico, contra afecções pulmonares, como estimulante digestivo e como um remédio respiratório.


Azevinho (Ilex aquifolium)

O azevinho é um arbusto da família das Aquifoliaceae. Este é uma das numerosas espécieazevinhos do género Ilex, que nasce espontaneamente na europa, sendo comum até 1500 metros de altitude. O azevinho tem ramos cobertos de folhas persistentes e frutos vermelhos (azevinhos ou bagas) que persistem todo o Inverno. A casca do seu tronco é cinzenta clara e lisa e a sua madeira é dura e bastante pesada, sendo por vezes utilizada na confecção de peças de instrumentos musicais. É uma planta de crescimento lento, atinge em média de quatro a seis metros de altura e pode viver 100 anos ou mais.

Este arbusto é usado como uma planta decorativa, principalmente no Natal, devido às suas cores festivas: os frutos vermelhos e as folhas verde escuras. O uso de azevinhos como decoração no Natal tornou-se, em certas regiões, uma tradição como a árvore de natal.

Os frutos desta planta não são comestíveis. Tanto o fruto como as folhas são tóxicos. O consumo de 20 a 30 bagas pode ser mortal para um adulto.


Urze (Erica spp.)urze

A urze é o nome que se dá a diversas plantas da família Ericaceae, particularmente dos géneros Erica e Calluna. Crescem espontaneamente em solos pobres em cal e com flores de várias cores. São muito comuns em Portugal, existindo em todo o país, mas sobretudo nas montanhas de granito a norte de Portugal.

 

 

flora-imagem

Fauna e Flora de Algarve

2010 January 12
Posted by andreburgobaptista

O algarve é uma região a sul de Portugal. Esta região tem um lado selvagem, que muitas vezes passa despercebido aos turistas. Apesar das cidades e vilas, existe uma grande diversidade de animais e plantas em redor. No algarve existem animais que são normalmente associados a grandes florestas ou matas, como raposas, coelhos, corujas, serpentes, etc. O tipo de fauna predominante é sem dúvida as aves, sendo assim um local de grande interesse para ornitólogos. A variada e abundante flora traduz-se em anos de história da zona. Sabe-se através desta, que tipo de alimentação houve há séculos no algarve, sabe-se que outros povos estiveram na região no algarve e que novas culturas implementaram.

Estão nas seguintes páginas animais e plantas característicos do algarve, mas existem muitos mais, devido à grande biodiversidade da zona.

Reservas

Fauna do Algarve

2010 January 5
Posted by andreburgobaptista

(ver imagens correspondentes em baixo)

aguia

Águia-de-Bonelli (Hieraaetus fasciatus ou Aquila fasciata)

A águia-de-bonelli, ou também chamada águia-perdigueira é uma ave de rapina pertencente à família Accipitridae. Esta ave é uma espécie em perigo de extinção. Tem cerca de 60 cm de comprimento e 165 cm de envergadura de asas. Esta habita em regiões montanhosas, onde pode ser vista a pairar, geralmente aos pares. Normalmente são resistentes a diferenças climáticas, mas algumas migram para regiões mais quentes no Inverno.


 

Alfaiate (Recurvirostra avosetta)alfaiate

O alfaiate pertence à família Charadriidae. Este é uma ave bastante característica, tem plumagem preta e branca e um bico forte e curvo. No sul de Portugal, o alfaiate pode ser encontrado no sotavento algarvio, essencialmente no Inverno. Portugal acolhe muitos milhares de alfaiates, principalmente no estuário do Tejo e no estuário do Sado.


andorinha-do-mar

Andorinha-do-mar (Sterna spp.)

A andorinha-do-mar é também conhecida como garajau-comum nos Açores. É uma ave costeira das costas europeias, americanas e africanas.

 

Andorinhão-real (Apus melba)andorinhao-real

O andorinhão-real é uma ave pertencente à ordem Apodiformes. É o maior dos andorinhões europeus e facilmente identificado pelo seu ventre branco. Em Portugal, a ave estival aparece entre Março e Setembro, especialmente em zonas rochosas, onde esta nidifica.


Andorinha-das-chaminés (Hirundo rustica)

A andorinha-das-chaminés é também conhecida no Brasil, como andorinha-de-bando e andorinha-de-pescoço-vermelho. É uma ave pertencente à família das andorinhas (Hirundinidae) e a mais espalhada pelo mundo, podendo sandorinha-das-chamineser encontrada na Europa, África, Ásia, América e norte da Australásia. É uma ave pequena e migratória, que se alimenta apenas de insectos, que são apanhados durante o voo. Esta migra para regiões com climas mais propícios para insectos voadores. Tem a parte de cima da cabeça e do corpo azuis, uma cauda comprida e bifurcada e asas curvas e pontiagudas. A andorinha-das-chaminés pode ser encontrada em aldeias e vilas, vivendo junto dos homens. Isto acontece devido a comer insectos e também devido a factores religiosos e supersticiosos em relação a ela e ao seu ninho. Chega mesmo a existir várias referências literárias, culturais e religiosas à ave.


Cágado-comum (Mauremys leprosa)cagado-comum

O cágado-comum é um cágado da família Geomydidae. Existe em Portugal, Espanha e no norte de África (Marrocos, Túnisia e Algéria). Esta espécie vive em locais com água doce, como rios e pântanos. Alimenta-se principalmente de outros animais, mas também pode comer alimentos de origem vegetal. Tem uma carapaça verde ou castanha de cerca de 15 cm. Este animal tem o nome científico Mauremys leprosa porque, por vezes, crescem algas na sua carapaça, lembrando o aspecto de vítimas de lepra.


 

Camaleão-comum (Chamaeleon chamaeleon)

O camaleão-comum é a única espécie existente na Europa, da família Chamaeleonidae. Ecamaleao-comumste pode ser encontrado no sul de Portugal, sul de Espanha, no sul da Grécia (Creta, Chios, Samos, ilhas do Egeu), Malta, sudoeste da Turquia, Chipre, norte de África (Marrocos, Algéria, Tunísia, Líbia, Egipto, Sinai, Israel, Jordânia, Sahara ocidental) e sudoeste da Arábia Saudita (lémen, Líbano, Síria, Iraque e Irão). Os camaleões são conhecidos pelas suas curiosas características físicas de defesa e ataque: a troca de cor (que é usada como um indicador do comportamento do camaleão e não como uma camuflagem), a sua língua rápida, pegajosa e longa para apanhar insectos e os seus olhos que se conseguem mover independentemente.

  

Cegonha-branca (Ciconia ciconia)cegonha-branca

A cegonha-branca atinge, em adulta, cerca de 1m e tem de envergadura de asas 2m. Tem um longo bico vermelho e pontiagudo, que é usado para procurar no lodo e em águas pouco profundas rãs, peixes e pequenos répteis. Tem uma plumagem branca, excepto nas extremidades das suas asas, que são pretas. As cegonhas são muitas vezes associadas a máquinas agrícolas, pois elas comem os insectos que estas afugentam. As cegonhas podem construir os seus ninhos em árvores, falésias e em estructuras artificiais como telhados, chaminés ou postes de electricidade. Muitas vezes formam colónias e por vezes juntam-se a grupos de outras espécies como as garças.


Chapim-azul (Parus caeruleus)champim-azul

O chapim-azul é um pássaro da família Paridae, com cerca de 11 cm de comprimento. É uma ave muito comum em regiões temperadas e subárticas da Europa e Ásia ocidental e em florestas decíduas e mistas. Na sua maioria, estas aves não migram.


 

Chapim-real (Parus major)champim-real

O chapim-real é uma ave da família Paridae. Pode ter entre 13 a 14 cm de comprimento e é facilmente identificado, diferenciando-se dos outros chapins, com o peito amarelo e com uma faixa preta da garganta ao abdômen. É também uma ave bastante vulgar na Europa e Ásia.


Cobra-de-escada (Elaphe scalaris)cobra-de-escada

A cobra-de-escada é uma cobra da família Colubridae. Pode ser encontrada em Portugal, França, Espanha e possivelmente na Itália. A cobra habita em florestas temperadas, terrenos aráveis, pastagens, plantações e jardins rurais. É uma espécie em perigo devido à destruição do seu habitat.


 

Codorniz (Coturnix coturnix)codorniz

O codorniz é uma ave pertencente à ordem dos galiformes. No entanto algumas aves do grupo dos Tinamiformes também são chamados codorniz. Alimenta-se principalmente de sementes, folhas e insectos. O codorniz é uma ave dócil e domesticável.


Caimão-comum (Porphyrio porphyrio)caimao-comum

O caimão-comum é uma ave da família Rallidae. É uma das maiores aves da sua família. Tem uma plumagem azul e o bico e as patas vermelhas. Existe na Europa (apenas na Península Ibérica e na Sardenha), em África, na Ásia e na Oceânia. Habita em pauis ou em lagos com vegetação emergente.

 

 

 

 

 

 Coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus)coelho-bravo

O coelho-bravo, também conhecido como coelho-europeu e coelho-comum, é um mamífero da família dos Leporídeos. Este existe em estado selvagem e também há várias subespécies domesticadas por todo o planeta. A sua carne é usada como alimento e a sua pele para a confecção de roupa. Existe uma superstição popular que reza que um pé de coelho funciona como um amuleto de boa sorte.


Coruja-das-torres* (Tyto alba)

A coruja-das-torres, também chamada coruja-da-igreja, coruja-branca, coruja-católica e rasga-mortalha pertencoruja-das-torresce à família dos titonídeos. Estas corujas existem em todos os continentes, excepto na Antártica. Preferem matas, mas também se encontram em cavernas, em telhados, em prédios, nas torres de igrejas. Habitam em regiões com climas que podem variar de temperados a tropicais. São animais nocturnos e dotados predadores, que se alimentam de pequenos pássaros, invertebrados, roedores, pequenos lagartos e anfíbios. As corujas detectam as suas presas com uma aguçada audição, que lhes permite saber qual o ambiente que rodeia a presa através do quase inaudível eco das suas asas. 8 a 10 horas após comerem, regurgitam tudo o que não fora digerido. Estas corujas muito raramente bebem água, pois retiram todo o líquido necessário da carne que comem. Durante a noite, estas emitem um grito rouco que se assemelha a um tecido a rasgar.

coruja-do-mato
Coruja-do-mato (Strix aluco)

A coruja-do-mato pertence à família dos estrigídeos e também é conhecida como mocho-carijó. Estas existem nas regiões da Venezuela à Bolívia, na Argentina, no Brasil, na Amazónia e em Portugal. Chegam a atingir 34cm de comprimento, têm plumagem estriada nas zonas inferiores e não têm orelhas.


Corvo
(Corvus corax)

O corvo é uma ave da família Corvidae. Os corvos são os principais representantes da ordem passeriformecorvos. Os corvos distribuem-se por todas as zonas temperadas de todos os continentes. Estes vivem em bandos, com uma definida estrutura hierárquica. São omnívoros e podem também ser necrófagos. Estes animais apresentam sinais de grande inteligência e de comunicação. Alguns têm complexas técnicas para partir cascas duras e alguns chegam mesmo a produzir pequenos instrumentos. Devido aos seus hábitos necrófagos e plumagem preta são vistos como portadores de maus presságios, na mitologia.

doninha
Doninha (Sparus aurata)

A doninha é um pequeno mamífero carnívoro da família dos mustelídeos. O termo doninha também se pode referir a outros mamíferos do género Mustela.

 

 

  flamingo
Flamingo-comum (Phoenicopterus ruber)

O flamingo-comum ou famingo-rosado é uma ave da família Phoenicopteridae. Tem uma plumagem rosada, patas compridas e um bico espesso e curto. Este distribui-se pelo sul da Europa (Mediterrâneo), pelo sudoeste da Ásia e pela África. O flamingo não nidifica em Portugal, mas pode ser observado ao longo do ano.


 

Garça-real (Ardea cinerea)garca-real

A garça-real é uma garça, que se pode encontrar nas regiões do Panamá ao Paraguai, na Bolívia, no Brasil e em Portugal. A garça mede 59cm de comprimento, tem plumagem branca amarelada, capuz negro, pernas brancas e longas e a base do bico azul. É conhecida por vários nomes como acará, acaratimbó, acaratinga, garça-de-cabeça-preta, garça morena e garcinha.


 

Lontra (Lutra lutra)

A lontra é um mamífero, pertencente à sub-família Lutrinae. Pertence aos mamíferos carnívoros e à família dolontras mustelídeos. Encontra-se na Europa, Ásia, África, parte do sul da América do Norte e América do Sul. Vive próximo ou no litoral ou em rios. Come peixes, crustáceos, répteis e menos frequentemente aves e pequenos mamíferos. Costuma ter hábitos nocturnos, dorme de dia na margem e à noite procura alimento. As lontras podem atingir de 55cm a 120cm de comprimento e pode pesar até 35 quilos. Estas são animais ameaçadas de extinção, devido à sua pele e à destruição dos seus habitats. A lontra é um animal com duas camadas de pelagem, sendo uma delas impermeável, está também adaptada ao nado a grandes velocidades, atingindo 12km/h. A lontra é dócil e gosta de brincar com pessoas, sendo assim possível domesticá-la. Consegue assobiar, chiar e guinchar.


Raposa (Vulpes vulpes)raposa

As raposas são mamíferos da família dos canídeos em que, a maior parte, pertence ao género Vulpes. Alimenta-se, principalmente, de aves, pequenos roedores, peixes, coelhos ovos, frutos e insectos. A caça da raposa é considerada uma tradição mas, a partir de 2005 a sua caça foi proibida em vários países, mas ainda assim muitas raposas estão a ser vendidas na Rússia. As raposas possuem pupilas ovais, semelhantes às pupilas verticais dos felídeos.


Morcego (Rhinolophus)morcego

Rhinolophidae é uma família pertencente à ordem dos morcegos, Chiroptera. Esta abrange cerca de 130 espécies em 10 géneros. Estes morcegos são castanhos avermelhados, possuem protuberâncias no nariz em forma de folha ou ferradura e utilizam a ecolocação para focar o som. São todos insectívoros e apanham os insectos em pleno voo. Podem-se encontrar na Europa, na Ásia, em África, na Austrália e em algumas ilhas do Pacífico. Vivem, em colónias, em troncos de árvores, em ramos de árvores ou em cavernas. São mamíferos migratórios.


Osga-comum (Tarentola mauritanica)osga2

A osga-comum, ou também chamada osga-moura é uma espécie de osga, existente principalmente em Portugal. A osga atinge 8,5cm de comprimento. Tem uma forma achatada, com uma cabeça bem definida e com grandes olhos. Ao contrário do pensamento popular as osgas não são venenosas, nem perigosas para os humanos. Estes animais insectívoros, no Verão, colocam-se perto de luzes e apanham os insectos por elas atraídas.



fauna-imagens